generalidades

para não esquecer

Hoje veio a falecer a “vó Rosa” – que não é minha avó, mas avó de um amigo querido, o Fernando. Ela tinha 101 anos, muita lucidez e disposição. Há não muito tempo, foi entrevistada para uma edição do programa Globo Repórter, que falava, se eu não me engano, sobre pessoas com mais de 100 anos que vivem superbem.

Ao comunicar esse falecimento, a colunista Juliana Wosgraus postou, em sua página do facebook, uma frase que ouviu da dona Rosa numa entrevista, por ocasião dos 100 anos dessa senhora, da qual eu não quero me esquecer:

“Não percam tempo se preocupando com bobagem e aprendam a rir dos obstáculos que surgem ao longo da vida. Não esperem para ser felizes depois que resolverem determinado problema, sejam felizes já, nesse caminho.”

Eu não deveria, mas preciso ser lembrada disso de vez em quando (curtir mais o tanto de coisa boa que me acontece e reclamar menos do que é chato e acontece só de vez em quando ou daquilo que não pode acontecer já – ansiosa, eu?). Espero chegar o dia em que isso seja automático pra mim. E espero também viver tanto e tão bem como a dona Rosa viveu, pra ser lembrada com tanto carinho e admiração como sei que ela será lembrada.

Anúncios

Um comentário em “para não esquecer

Deixa um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s