corrida · generalidades · viagens

2016

Tenho uma lista enorme de posts para colocar em dia. Os mais atrasados são os posts de viagem e os de corrida (pra falar das duas últimas provas, a Meia Maratona Rock’n’Roll, que corri em Lisboa, e a Meia Internacional de Floripa, em que corri 5k, em casa, e fiz pódio). De viagem… Nossa! Tem post atrasado desde pelo menos 2014: Foz do Iguaçu, Portugal, Nova York, Trilha do Rio do Boi (RS), Brasília/Vitória, Curitiba/Morretes, Equador, grutas de Botuverá, Portugal pela segunda vez e Paris. Também tem viagens dos anos anteriores que nunca vieram pra cá, como Chile, Colômbia e outras no Brasil e mesmo em Santa Catarina. Eu queria postar sobre todas, mas se eu tenho acumulado mais viagens do que dou conta de descrever também não vou reclamar!

Os fatos mais marcantes de 2016 foram:

  • O nascimento da minha segunda sobrinha biológica, a Sara, em junho, em Portugal, motivo da minha segunda viagem ao país.
As sobrinhas: Sara e Bruna.
As sobrinhas portuguesas: Sara e Bruna.
  • Comecei a fazer aulas de bateria. Yeah! 🤘🏼 E eu me empolguei pra caramba com isso. Fiz três apresentações na escola de música (vou escrever sobre isso). Eu sempre me apresentei com pelo menos um membro da família, mas uma das apresentações foi só nós quatro tocando Beatles. Foi lindo e feliz demais. play no vídeo:
As minhas caras tocando bateria são as piores. Preciso aprender a relaxar enquanto toco e, principalmente, a sorrir. Vendo as fotos nem dá pra dizer que eu estava feliz. E eu estava; muito.
  • Corri uma prova de rua pela primeira vez. E pela segunda, pela terceira, quarta e quinta (os posts das duas últimas estão pra sair). A terceira e a quarta foram internacionais – aproveitei que estaria em Lisboa e pesquisei corridas que pudesse fazer lá; achei uma para cada domingo que passaria em Portugal. As fotos abaixo são da Rock’n’Roll Half Marathon Lisboa. São todas com marca d’água porque o preço de cada foto era de quase 20 euros. Sem condições, né? Clica nas fotos que dá pra ver um pouco maior.
  • Fiz uma trilha e subi a quase 5.000 metros de altitude (no Equador, post a sair – sério?). Fiz outra trilha descendo para uma lagoa – MARAVILHOSA – dentro de um vulcão. Lá no Equador também vi (de longe) o ponto mais distante do centro da Terra, que é o pico do vulcão Chimborazo. Não é o ponto mais alto do mundo, que, todos sabem, é o Himalaia. O Chimborazo não tem a maior altitude (a altitude é medida em relação ao nível do mar), mas por estar sobre a linha do Equador, na parte do nosso planeta que é mais “larga”, é o ponto mais distante do centro da Terra.
A estonteante laguna dentro do Vulcão Quilotoa.
A estonteante laguna dentro do Vulcão Quilotoa.
  • Evoluí bastante o meu nível de francês. Ainda empaco um pouco pra falar, lembrar das conjugações verbais e do uso das preposicões, mas já entendo bem pra caramba (na minha concepção). E num tópico relacionado: conheci Paris e me apaixonei. <3
Bonjour, Paris.
Bonjour, Paris.
  • Finalmente coletei os dados para o experimento piloto da minha tese. Agora vai! 2017 é o último ano do doutorado, tenho que defender minha tese no primeiro semestre do ano que vem. O ano de 2016 iniciou com planos para fazer um doutorado sanduíche (na França ou na Holanda), mas terminou com a certeza de que não vai rolar. Paciência. Essa questão eu já tenho resolvida, e também tem a ver com as prioridades que a gente define pra vida. Porém, do sonho de morar fora do país eu ainda não desisti. Quem sabe no pós-doc? ;)

32292578876_6685ffcc51_z

  • Aceitei algumas características minhas e também me esforcei para mudar algumas de que não gosto. Há muito a ser feito ainda, é um processo, mas tem sido positivo, tanto ver as mudanças que já aconteceram quanto ver que tem coisas que é preciso aceitar mesmo, que são da gente e que nos fazem bem. Eu sempre me cobrei muito, ainda me cobro. A minha vida inteira eu fui perfeccionista demais, exigindo demais de mim mesma. Não bastava fazer bem; o que eu tinha que fazer tinha que ser o melhor. Hoje, pra muitas coisas eu já aceito apenas fazer bem. Fazer. Que o esforço demandado não seja nocivo nem me sugue demais. Ainda tenho que aprender a ser mais organizada, a controlar melhor o meu tempo e a gerir minhas tarefas.
    Que em 2017 eu realize esses e outros desejos. <3
Anúncios

2 comentários em “2016

Deixa um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s